Intervenha pela liberdade de Asia Bibi e ofereça asilo para ela e sua família

Petição dirigida a: Governo do Brasil

 

Intervenha pela liberdade de Asia Bibi e ofereça asilo para ela e sua família

0500
  371
 
371 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 500 assinaturas.

Intervenha pela liberdade de Asia Bibi e ofereça asilo para ela e sua família

A maioria de nós está estarrecida e indignada com o assassinato dos jornalistas franceses, acusados de terem "ofendido a honra do profeta islâmico Maomé." Nós pensamos que este ato covarde foi feito por um grupo terrorista, e que esta mentalidade representa apenas este grupo, e não o islão própriamente dito.

 

Mas, de repente, nós nos deparamos com notícias recentes como a relativa a Raif Badawi, um blogueiro ateísta saudita, condenado a uma década na prisão e mil açoites com uma vara, sob alegações de que teria ofendido o Islã, apenas por promover debates sociais e políticos. Ou ainda a notícia relacionada a Mohamed Cheikh Ould Mohamed, outro blogueiro ateísta, desta vez da Mauritânia, que foi sentenciado à morte no dia 24 de dezembro de 2014, acusado de ter ofendido ao profeta islâmico Maomé ao criticar o sistema de castas vigentes no país.

 

Estas condenações não foram feitas por "grupos terroristas" mas sim por países organizados, com governos e assentos na Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Mais ainda estarrecedor é saber que condenações deste tipo são comuns nos países do chamado "mundo islâmico. "

 

Mas o motivo desta petição é relacionado a talvez o caso mais repugnante do século XXI até o momento, e um tremendo desrespeito que um país membro da ONU possa ter com respeito aos Direitos Humanos Universais! Trata-se da prisão, e execução eminente, da paquistanesa Asia Bibi, acusada de ter "ofendido a honra do profeta islâmico Maomé." 

 

AAsiya Noreen Asia Bibi é uma mulher casada, mãe de 5 filhos, pertencente a minoria cristã no Paquistão. Em junho de 2010, Asia Bibi estava trabalhando no campo coletando frutas. Trabalhando sob o sol escaldante do meio-dia, ela pegou água de um poço. As suas companheiras de trabalho a acusaram de contaminar a água, pois, ela sendo cristã, ela era impura: ao beber do poço, a água tinha sido contaminada e se tornado "haram" (proibida) para o consumo das demais mulheres muçulmanas. Diante disso, outras mulheres, muçulmanas, protestaram. A única maneira que as muçulmanas poderiam beber da água agora seria se Asia Bibi abandonasse sua fé cristã e se convertesse ao Islão. Ela se negou.

 

Para justificar a sua permanência como cristã, Asia Bibi disse que "Cristo morreu na cruz pelos pecados da humanidade", perguntando em seguida as mulheres muçulmanas o que Maomé havia feito por elas. Ela concluiu dizendo que, a rigor, as muçulmanas é quem deveriam se converter. Ao ouvirem isso, o grupo de mulheres se tornou em um grupo enfurecido, que, agredindo Asia Bibi, a arrastou até o imame local, esposo de uma delas. Elas disseram que Asia Bibi havia insultado o islão. O imame exigiu que Asia Bibi se tornasse muçulmana como a única forma dela não ser punida. Asia disse que não havia insultado ninguém. Diante disso, o imame a denunciou à polícia pelo delito de blasfêmia.

 

(leia mais detalhes deste relato neste link: http://infielatento.blogspot.ca/2015/01/sentenciada-morte-por-um-gole-dagua.html)

 

Esta história toda é tenebrosa. Mas o pior é que o artigo 295 do Código Penal do Paquistão determina pena de morte para quem blasfemar contra o Profeta do Islão.

 

Desde então, Asia Bibi se encontra presa. Ela foi condenada em todas as instâncias, sob pressão da maioria muçulmana que exige a sua execução. Em todas as instâncias, os juizes dizem que Asia Bibi pode trocar a pena pela sua conversão ao islamismo. Isso é aplicação da lei islâmica (Sharia) na sua totalidade!

 

Imames dizem que se ela não for condenada, "as pessoas farão justiça pelas próprias mãos." A família de Asia Bibi vive sob constantes ameaças, bem como o advogado e todos aqueles que mostram simpatias. Em 2011, o governador de Punjab, Salman Taseer, foi assassinado por membro de seu time de segurança, Malik Mumtaz Hussein Qadri, por que defendia Asia Bibi e era contra a lei de blasfêmia. Mais tarde, no mesmo ano, o Ministro dos Negócios das Minorias, Shahbaz Bhatti, único cristão membro do gabinete do Paquistão, também foi assassinado, por causa de sua posição a respeito das leis de blasfêmia. Ele foi morto a tiros, por homens armados que emboscaram seu automóvel perto de sua residência, em Islamabad.

 

No último capítulo desta tortura que já dura 4 anos e meio, a Suprema Corte de Lahore manteve a pena de morte. Agora, só resta a Corte Suprema do Paquistão, a última esperança.

 

Tem existido pressão internacional, mas nada parece ser capaz de salvar a vida desta mulher, condenada por algo tão mesquinho. Cremos que o Brasil, pela sua condição de nação-amiga e influente tenha grandes possibilidades de obter sucesso e a liberdade de Asia Bibi. 

 

Pedimos as autoridades que representam o Brasil no exterior que intervenham junto às autoridades paquistanesas visando a libertação de Asia Bibi.

 

Solicitamos também que as autoridades brasileiras concedam asilo a Asia Bibi e a sua família, considerando-se que as suas cabeças estão à prêmio caso ela seja libertada e mantida no Paquistão.

 

referências

[1] http://www.theguardian.com/world/2015/jan/14/-sp-saudi-blogger-extracts-...

[2] http://www.nytimes.com/2014/12/26/world/asia/death-sentence-in-mauritani...

[3] http://pt.wikipedia.org/wiki/Asia_Bibi

[4] http://nypost.com/2013/08/25/sentenced-to-death-for-a-sip-of-water/

[5] http://www.dailymail.co.uk/news/article-2847305/Pakistani-Christian-deat...

[6] Petição pede ao governo do Brasil que intervenha e salve Asia Bibi, condenada à morte pelo governo do Paquistão por ter "ofendido a honra de Maomé" 

Esta petição foi criada por um cidadão ou uma organização independente de CitizenGO. Por essa razão, CitizenGO não é responsável por seu conteúdo.
+ Letter to:

Assine esta petição agora!

 
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your email
Please enter your country
Please enter your zip code
Ao assinar você aceita os termos de uso da CitizenGO e sua política de privacidade, e aceita receber mensagens de e-mail sobre nossas campanhas. Você pode cancelar seu cadastro na lista a qualquer momento.

Petição dirigida a: Governo do Brasil

Brasil: Intervenha junto ao governo do Paquistão pela liberdade de Asia Bibi e ofereça asilo para ela e sua família

Solicitamos ao Ministério das Relações Exteriores, o Ministério de Justiça, o Embaixador do Brasil no Paquistão e os membros da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara e do Senado, que intervenham junto ao governo do Paquistão para que libere Asia Bibi, a paquistanesa pertencente a uma minoria muito pequena neste país, que foi condenada dentro da abominável Lei da Blasfêmia. Em 2010, ela foi acusada de ter contaminado a água que as muçulmanas que estavam coletando frutas iriam beber, pelo simples fato de ter bebido a mesma água. E, ao se recusar a se tornar muçulmana, o que descontaminaria a água, as muçulmanas a acusaram de ter "ofendido a honra do profeta islâmico Maomé."

Isto foi suficiente para ela ser presa e condenada à morte em todas as instâncias, aparentemente faltando apenas a corte suprema do Paquistão. 

Excelências, ninguém deve ser preso, um dia sequer, quiçá 5 anos, por ter compartilhado da água com outros. Ninguém deve ser preso, um dia sequer, quiçá 5 anos, por ser acusado de ter ofendido uma figura religiosa, notadamente quando a pessoa acusada nega ter feito isso. 

Pedimos as autoridades que representam o Brasil no exterior que intervenham junto às autoridades paquistanesas visando a libertação de Asia Bibi.


Solicitamos também que as autoridades brasileiras concedam asilo a Asia Bibi e a sua família, considerando-se que as suas cabeças estão à prêmio caso ela seja libertada e mantida no Paquistão. 

 

Atenciosamente,
[Seu nome]

Intervenha pela liberdade de Asia Bibi e ofereça asilo para ela e sua família

Assine esta petição agora!

0500
  371
 
371 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 500 assinaturas.