ANISTIA INTERNACIONAL: PARE DE PROMOVER O ABORTO!

A Anistia Internacional promove o aborto internacionalmente com dinheiro de George Soros e de seus doadores

 

ANISTIA INTERNACIONAL: PARE DE PROMOVER O ABORTO!

0272.000
  250.467
 
250.467 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 272.000 assinaturas.

ANISTIA INTERNACIONAL: PARE DE PROMOVER O ABORTO!

Esta é a continuação da petição de boicote à Anistia Internacional, que reuniu cerca de 150.000 assinaturas em todo o mundo.

O objetivo desta segunda petição é reforçar os números da primeira para que possamos continuar reagindo contra as campanhas contrárias à vida feitas pela Anistia Internacional.

A Anistia Internacional está agora promovendo o aborto na Irlanda, Argélia, Burquina Faso, El Salvador, Nepal, Marrocos e Tunísia.

Documentos vazados mostram que a Anistia Internacional recebeu grandes quantidades de dinheiro da Open Society Foundation (OSF), de George Soros, com o propósito específico de modificar as leis que proíbem o aborto nesses e em diversos outros países.

George Soros é um empresário húngaro-americano e um dos homens mais ricos do planeta.

O referido documento trata especificamente da modificação de leis que protegem a vida dos nascituros em diversos países. Na Irlanda, por exemplo, a OSF tem financiado intensamente diversas ONGs, incluindo a Anistia Internacional Irlanda, “para trabalharem coletivamente numa campanha para modificar a oitava emenda constitucional na Irlanda” – a emenda pró-vida que protege legalmente as mães e os nascituros.

Um dos documentos vazados revela a estratégia da OSF (2016-2016) para os “direitos das mulheres”:

“Tendo uma das leis mais restritivas em relação ao aborto em todo o mundo, uma vitória lá (Irlanda) poderia impactar outros países fortemente católicos na Europa, como a Polônia, e fornecer a prova necessária de que é possível mudar, mesmo em lugares muito conservadores”, diz o documento

Esse é um claro exemplo de uma organização estrangeira tentando influenciar a própria identidade de um país pequeno por meio da mudança de sua Constituição. A Irlanda tem um dos melhores serviços de saúde materna no mundo e por isso é um problema persistente para o mito pró-aborto de que o aborto é necessário para a saúde das mulheres.

A Anistia Internacional reuniu 270.000 assinaturas para pressionar o governo irlandês a legalizar o aborto no país. Precisamos mostrar que a maioria das pessoas é contrária ao assassinato de nascituros. Além disso, é necessário frisar a propaganda internacional pró-aborto não parte de um anseio natural das pessoas, mas é fomentada com dinheiro de fundações milionárias como a Open Society.

A campanha é endereçada ao Secretário Geral da Anistia, à sua diretoria internacional e ao Ministro da Saúde irlandês, Simon Harris, para que a ONG interrompa a sua campanha de legalização do aborto na Irlanda, Argélia, Burquina Faso, El Salvador, Nepal, Marrocos e Tunísia. Além disso, pedimos que o Ministro da Saúde irlandês não se deixe influenciar por uma campanha financiada com dinheiro de gente como George Soros.

Aproveitamos, também, para pedir àqueles que colaboram financeiramente com a Anistia que deixem fazê-lo até que a ONG pare de promover o aborto.

 

Thank you for signing!

MAIS INFORMAÇÔES:

https://www.lifesitenews.com/news/soros-to-launch-aggressive-plan-to-suppress-pro-life-catholic-countries-sta

http://www.independent.ie/irish-news/billionaire-soros-funding-groups-fighting-to-repeal-irish-abortion-ban-34980624.html

+ Letter to:

Assine esta petição agora!

 
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your email
Please enter your country
Please enter your zip code
CitizenGO protegerá sua privacidade e lhe manterá informado/a sobre esta e outras campanhas.

O aborto não é um direito humano!

À Diretoria, ao Secretário Geral da Anistia Internacional e ao Ministro da Saúde irlandês, Sr. Simon Harris:

A Anistia Internacional admitiu ter recebido financiamento de George Soros com o objetivo de legaliza o aborto na Irlanda e em outras nações pequenas e em desenvolvimento.

Consideramos inadequado esse tipo de imposição feita pela Anistia (cuja principal causa era a libertação dos presos de consciência).

Todo os governos deveriam se preocupar com a proteção da vida dos cidadãos – nascidos e não nascidos. Os nascituros são, literalmente, o futuro e não faz sentido que uma nação comprometa o seu futuro por meio da limitação ou da eliminação das proteções legais para o nascituro.

Por essas razões, apoiamos as leis pró-vida de países como Irlanda, Argélia, Burquina Faso, El Salvador, Nepal, Marrocos e Tunísia e rejeitamos os esforços da Anistia Internacional para promover a cultura da morte às custas de ideólogos milionários como George Soros.

Portanto, pedimos à Anistia que abandone esse colonialismo cultural e também pedimos a Simon Harris, Ministro da Saúde da Irlanda, para rejeitar a pressão que a Anistia tem feito para legalizar o aborto na Irlanda.

Também pedimos que os colaboradores da Anistia deixem de doar para a ONG até que abandone as suas campanhas de legalização do aborto. 

---

For the Attention of the Board and Secretary General of Amnesty International AND the Irish Health Minister, Mr Simon Harris:

Amnesty International has admitted to receiving monies from billionaire, George Soros, with the goal of legalizing abortion in Ireland and other small and developing nations around the world.

We, the undersigned, consider this type of imposition from Amnesty, which has traditionally been concerned with freeing prisoners of conscience, completely improper, and an absolutely appalling use of resources.

Every government in the world, and, in particular, their Ministers of Health, should be concerned with protecting the lives of its citizens - both born and unborn. Unborn people are literally the future of every nation, and it makes no sense for any nation to diminish its future by limiting or eliminating legal protections for the unborn.

For these reasons, we utterly support the pro-life efforts and laws of countries like Ireland, Algeria, Burkina Faso, El Salvador, Nepal, Morocco-Western Sahara and Tunisia, and we utterly reject Amnesty International's efforts to advance the culture of death at the bidding of wealthy ideologues like George Soros.

We, therefore, call on Amnesty to cease and desist from this type of deadly cultural colonialism. And, we also call on Simon Harris, Irish Health Minister, to reject Amnesty's call to legalize abortion in Ireland.

Until such time as Amnesty stops this campaign against the unborn, we also call on the supporters of Amnesty to stop contributing financially to the organization.

Thank you for your immediate consideration.

Atenciosamente,
[Seu nome]

ANISTIA INTERNACIONAL: PARE DE PROMOVER O ABORTO!

Assine esta petição agora!

0272.000
  250.467
 
250.467 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 272.000 assinaturas.