Tire as mãos de Peppa Pig! O TV Cultura não transmite o episódio LGBT

Acabou-se a doutrinação ideológica para as crianças! ASSINE AGORA

 

Tire as mãos de Peppa Pig! O TV Cultura não transmite o episódio LGBT

Tire as mãos de Peppa Pig! O TV Cultura não transmite o episódio LGBT

050.000
  37.762
 
37.762 assinado. Vamos conseguir 50.000!

É um facto: o lobby LGBT fixou-se nos nossos filhos e está a fazer tudo o que pode para lhes incutir a sua agenda ideológica.

Depois do mundo mágico da Disney, os programas infantis no Netflix, a Barbie trans, a edição arco-íris do Lego, agora o lobby LGBT conseguiu deitar as mãos a um dos programas mais apreciados pelos pré-escolares (0-3 anos de idade!).

Estou a falar do mundo colorido da Peppa Pig onde, no episódio de estreia 'Families' transmitido no passado dia 06 de Setembro no Channel 5 no Reino Unido, em que os produtores decidiram incluir um casal de mães lésbicas.

Isto não é um acidente, mas mais uma interferência ideológica escandalosa promovida por grupos LGBT que tinham lançado uma campanha de recolha de assinaturas em 2019 para pressionar os produtores de desenhos animados preferidos das crianças a incluir pais do mesmo sexo.

O que aconteceu é extremamente grave, especialmente considerando que os produtores decidiram desavergonhadamente ceder à pressão dos grupos LGBT (o lobby mais poderoso do mundo), traindo a confiança de milhões de pais.

No episódio em questão, uma nova amiga de Peppa, Penny Polar Bear, apareceu, descrevendo a sua família: 

"Eu vivo com a minha mãe e a minha outra mãe. Uma mãe é médica, a outra cozinha esparguete. E eu adoro esparguete".

O que pode parecer uma imagem inocente e despreocupada (como uma criança a veria) esconde na realidade armadilhas perigosas...

As crianças tornaram-se um alvo para os lobbies LGBTQ e o seu objetivo é claro: destruir na imaginação das crianças a segurança de que a família é constituída por um pai e uma mãe, mas mais importante, que as crianças nascem apenas de um homem e de uma mulher.

A verdade é que duas mulheres não podem ter um filho. Para o terem, precisam de comprar o esperma de uma dadora anónima, fertilizar o óvulo de uma delas e implantá-lo num dos dois úteros (não necessariamente no mesmo útero que a dadora de óvulos). 

Os bebés nascem de uma mãe e de um pai, essa é a realidade! 

Assine agora a petição para garantir que este episódio não é transmitido no Brasil. 

Mais informações: 

https://sapobrasil.com.br/atualidade/artigos/peppa-pig-inclui-casal-lesbico-entre-seus-personagens

https://revistaoeste.com/mundo/desenho-infantil-peppa-pig-exibe-casal-de-lesbicas/

https://observatoriog.bol.uol.com.br/noticias/cultura/peppa-pig-introduz-seu-primeiro-casal-lesbico-no-desenho

https://economiaempauta.com/peppa-pig-inclui-casal-lesbico-entre-seus-personagens-2/

050.000
  37.762
 
37.762 assinado. Vamos conseguir 50.000!

Complete your signature

Assine esta petição agora!

 
Please enter your email
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Processamos a sua informação de acordo com a nossa política de Termos e Privacidade

Não transmita o episódio LGBT

Ao cuidado de Marcos Maciel, proprietário do canal TV Cultura.

Chegou ao nosso conhecimento que o episódio de estreia 'Famílias' do muito amado desenho animado infantil Peppa Pig apresenta um casal de mães lésbicas.

Como milhões de famílias em todo o mundo, gostaria de expressar a minha preocupação perante uma escolha que considero absolutamente ideológica e inapropriada. A mensagem que os produtores queriam transmitir é falsa e perigosa.

No episódio em questão, apareceu um novo amigo de Peppa, Penny Polar Bear, descrevendo a sua família: "Vivo com a minha mãe e a minha outra mãe. Uma mãe é médica, a outra cozinha esparguete. E eu adoro esparguete".

A verdade é que duas mulheres não podem ter um bebé. Para o terem, precisam de comprar esperma a um dador anónimo, fertilizar o óvulo de um deles e implantá-lo artificialmente num dos dois úteros.

Esta é uma prática aberrante que envolve a comercialização de gâmetas humanos e a supressão do direito sacrossanto da criança por nascer a conhecer as suas origens biológicas.

Por conseguinte, uma vez que o canal TV Cultura  transmite o programa, venho por este meio solicitar que este episódio não seja transmitido para salvaguardar e proteger as nossas crianças.

Com os melhores cumprimentos. 

[Seu nome]

Não transmita o episódio LGBT

Ao cuidado de Marcos Maciel, proprietário do canal TV Cultura.

Chegou ao nosso conhecimento que o episódio de estreia 'Famílias' do muito amado desenho animado infantil Peppa Pig apresenta um casal de mães lésbicas.

Como milhões de famílias em todo o mundo, gostaria de expressar a minha preocupação perante uma escolha que considero absolutamente ideológica e inapropriada. A mensagem que os produtores queriam transmitir é falsa e perigosa.

No episódio em questão, apareceu um novo amigo de Peppa, Penny Polar Bear, descrevendo a sua família: "Vivo com a minha mãe e a minha outra mãe. Uma mãe é médica, a outra cozinha esparguete. E eu adoro esparguete".

A verdade é que duas mulheres não podem ter um bebé. Para o terem, precisam de comprar esperma a um dador anónimo, fertilizar o óvulo de um deles e implantá-lo artificialmente num dos dois úteros.

Esta é uma prática aberrante que envolve a comercialização de gâmetas humanos e a supressão do direito sacrossanto da criança por nascer a conhecer as suas origens biológicas.

Por conseguinte, uma vez que o canal TV Cultura  transmite o programa, venho por este meio solicitar que este episódio não seja transmitido para salvaguardar e proteger as nossas crianças.

Com os melhores cumprimentos. 

[Seu nome]