DIGA AOS CEOs DAS BIG TECHs: PAREM COM A CENSURA!

A liberdade de expressão nunca foi tão atacada!

 

DIGA AOS CEOs DAS BIG TECHs: PAREM COM A CENSURA!

0200.000
  193.381
 
193.381 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 200.000 assinaturas.

DIGA AOS CEOs DAS BIG TECHs: PAREM COM A CENSURA!

As empresas conhecidas como Big Tech (Facebook, Twitter, YouTube, Google, Apple, Amazon e Pinterest) lançaram uma cruzada mundial para censurar o discurso de cidadãos pró-vida, pró-família e pró-liberdade que não se curvam às suas ideologias politicamente corretas.

Essas grandes empresas de tecnologia são alguns dos maiores e mais populares locais de encontro de mídia social.

Mas elas não são invencíveis.

Se você e eu enfrentarmos os valentões das Big Techs e mostrarmos que eles não apenas perderão o apoio popular, mas também bilhões de dólares em lucros, além de enfrentarem duras penalidades legais...

Começarão a nos ouvir.

Então, por favor, assine a petição da CitizenGO para nos ajudar a pressionar os CEOs das Big Techs. Temos de insistir para que parem com a censura.


+ Letter to:

Assine esta petição agora!

 
Please enter your email
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:

Parem com a censura!

Para: Jack Dorsey - CEO do Twitter, Mark Zuckerberg - Fundador do Facebook, Jeff Bezos - CEO da Amazon, Tim Cook – CEO da Apple, Susan Wojcicki - CEO do YouTube, Sundar Pichai - CEO do Google, e Ben Silbermann – CEO do Pinterest

Sua empresa tem censurado discursos que não se alinham com a agenda da esquerda radical.

Censurar vai contra tudo que sua plataforma alega oferecer. 

Os usuários de sua plataforma devem ser respeitados quando manifestam suas convicções a respeito de patriotismo, religião, família, etc. 

Respeite os direitos dos seus usuários e pare de censurar a liberdade de expressão!

[Seu nome]

DIGA AOS CEOs DAS BIG TECHs: PAREM COM A CENSURA!

Assine esta petição agora!

0200.000
  193.381
 
193.381 pessoas já assinaram esta petição. Ajude-nos a conseguir 200.000 assinaturas.