Defendendo a vida, a família e a liberdade em todo o mundo

CitizenGO consiste em 17.239.695 active citizens stopping radical lobbies from imposing their agenda on society

temas

Defendendo a vida, a família e a liberdade em todo o mundo

vitoria!
NÃO À LEGALIZAÇÃO DA EUTANÁSIA EM PORTUGAL

No próximo dia 29, o parlamento português discutirá na generalidade quatro projectos que visam despenalizar e regulamentar a eutanásia.

Os projectos foram apresentados pelo partido Pessoas-Animais-Natureza, Bloco de Esquerda, Partido Socialista e Partido Ecologista “Os Verdes”.

Esta petição dirige-se ao grupo parlamentar do Partido Socialista e do Partido Social-Democrata, os dois maiores partidos portugueses. Foi dada liberdade de voto aos deputados desses partidos que, somados, atingem 175 dos 230 lugares do parlamento português.

É aos deputados do PS e do PSD que cabe fazer respeitar o povo português e a democracia, porque a eutanásia não foi discutida durante o período eleitoral que elegeu a actual composição do parlamento.

Por fim, é sobre os seus ombros que assenta a responsabilidade de levar em conta os avisos que chegam de países como a Holanda e a Bélgica, onde a eutanásia se pratica há largos anos. Nesses países, concluiu-se foi um erro despenalizar a eutanásia e que não é possível elaborar uma “lei boa”.

Portugal faz-se um país avançado promovendo os cuidados paliativos, e dando um exemplo de bom senso e respeito pela democracia!

DIGA NÃO À CRIAÇÃO DO CONSELHO LGBTTIQ EM BELO HORIZONTE

A Câmara Municipal de Belo Horizonte vai votar a reforma administrativa da prefeitura de Belo Horizonte. Cinco vereadores que defendem o lobby LGBT se aproveitaram da possibilidade de realizar emendas ao texto original para propor a criação do Conselho Municipal dos Direitos das Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Intersexuais e Queers.

Segundo o texto da subemenda ao projeto da reforma administrativa, o Conselho “contribuirá para potencializar o desenvolvimento de políticas públicas, formulando e propondo diretrizes de ação governamental, em âmbito municipal, voltadas para o combate à discriminação e para a promoção e defesa dos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros, Intersexuais e Queers”.

Isso significa que querem criar um mecanismo que utilizará dinheiro público (dinheiro do contribuinte) para promover em Belo Horizonte a causa LGBT.

Os autores da proposta parecem não se importar com a crise econômica que o país enfrenta e, menos ainda, com a má qualidade dos serviços públicos oferecidos em Belo Horizonte. A prefeitura, que está sempre enfrentando crises financeiras, terá de arcar com essa nova despesa.

Além disso, quem garante que esse novo conselho não será usado para propor a inserção da ideologia de gênero como tema a ser apresentado nas escolas municipais de BH?

A constituição brasileira e o código penal já garantem a todos os cidadãos a proteção contra discriminação e violência, acesso à educação, à saúde e aos outros serviços públicos. A impressão é que essas pessoas não querem direitos, mas privilégios.

Quem garante que esse órgão não servirá para silenciar e perseguir os cidadãos que não estão de acordo com os métodos e práticas do movimento LGBTTIQ?

Assine a campanha para enviar um e-mail aos vereadores que ainda não decidiram votar contra a criação do Conselho LGBTTIQ. 

PEDIMOS A LIBERTAÇÃO DO PASTOR HASSAN KODI E DO ESTUDANTE ABDULMONEM ABDULMAWLA

No final de Fevereiro deste ano, Omar Hasan al-Bashir, presidente do Sudão, perdoou o Petr Jašek, que ficou quatorze meses preso no Sudão. o

No entanto, o pastor Hassan Kodi e o estudante Abdulmonem Abdulmawla (acusados e presos juntos com Petr Jašek) continuam presos. Foram condenados a 12 anos de prisão por um tribunal em Khartoum no dia 29 de Janeiro deste ano porque foram acusados de terem colaborado com Jašek em seus supostos crimes.

Não é justo que esses homens continuem presos porque seus casos têm recebido pouca atenção da comunidade internacional, se comparados ao caso de Jašek (talvez pelo fato de serem sudaneses).

Petr Jašek disse à CitizenGO que tem imensa gratidão pelas centenas de milhares de apoios que recebeu das pessoas que assinaram a petição para pedir sua libertação. Também afirmou que não podemos nos esquecer do pastor Hassan Kodi nem do estudante Abdulmonem Abdulmawla.

Nas palavras Jašek: “Embora tenha sido libertado, meu coração ainda está na prisão com os dois outros irmãos – Hassan e Abdulmonem –, porque ainda estão presos em Khartoum. Precisamos continuar a campanha por sua libertação até que sejam libertados.”

Portanto, ao assinar esta petição, você enviará uma mensagem ao presidente do Sudão Omar Hasan al-Bashir para solicitar o imediato perdão e libertação do pastor Hassan Kodi e do estudante Abdulmonem Abdulmawla.

Muito obrigado por participar desta campanha!

MISSIONÁRIO CRISTÃO PODE SER PUNIDO COM A PENA DE MORTE: PEÇAMOS A LIBERTAÇÃO DELE!

ÚLTIMA HORA - 28/02/2017: Petr Jašek foi LIBERTADO! Graças às mais de 400.000 assinaturas e ao trabalho diplomático (do qual a CitizenGO também participou), o missionário tcheco foi libertado. Veja o que ele disse em sua coletiva de imprensa: 

"Também quero agradecer às mais de 400.000 pessoas que assinaram a petição na CitizenGO para pedir nossa libertação. Foi para nós um fator de GRANDE motivação e nenhum de nós esperava que um número tão elevado de pessoas pudesse realmente expressar sua coragem e aderir à petição."

Agradecemos a todos os que participaram da campanha!


Petr Jašek, missionário tcheco, foi para o Sudão ajudar cristãos que estavam sendo perseguidos por sua fé. Pouco tempos depois de ter chegado lá, tornou-se também um cristão perseguido. Há cerca de um ano ele foi preso injustamente no Sudão e até hoje se encontra nesta situação. Será julgado em breve e poderá ser punido com pena de morte.

Assine a petição para pedir a libertação de Jašek.

Em novembro de 2015, Petr soube da dramática situação do estudante sudanês Ali Omer, que em 2013, durante um protesto, sofreu graves queimaduras. Petr decidiu ir para o Sudão a fim de contribuir financeiramente com o tratamento de Ali e ajudar outros cristãos que vinham sofrendo perseguição.

No dia 10 de dezembro de 2015, pouco tempo antes do dia em que retornaria para República Tcheca, Petr foi preso por membros do serviço secreto sudanês em Khartoum. Algum tempo depois, ele foi acusado de diversos crimes. Algumas das acusações foram: espionagem, sedição, subversão da República... Três sudaneses também foram presos junto com Petr.

O processo é claramente político. As acusações têm como objetivo neutralizar todos os críticos do regime. Petr é o primeiro europeu a sofrer uma pena desse tipo no Sudão. A prisão dele nos dá a oportunidade de denunciar a injusta perseguição que os cristãos sofrem no Sudão.

A defesa de Petr afirma que seus acusadores não têm nenhuma prova contra ele, mas infelizmente não há perspectiva de que o julgamento seja justo, pois o governo sudanês é fundamentado na lei da Sharia.

Porém, não podemos perder as esperanças! Há dois anos, com a ajuda de milhares de citizengoers de todo o mundo, Meriam Ibrahim, uma cristã sudanesa que havia sido condenada à morte, foi libertada! Uma combinação de medidas políticas e pressão da sociedade civil garantiram a liberdade dela.

Petr poderá ser julgado e condenado à morte nos próximos dias. Por isso, mais uma vez, venho pedir sua ajuda. Assine a campanha para pedir a libertação de Petr e não deixe de compartilhá-la com o maior número possível de pessoas. 

DIA INTERNACIONAL DO ABORTO "SEGURO"? UM ABSURDO!

O lobby abortista internacional, com forte presença na ONU, quer estabelecer um “Dia Internacional do Aborto Seguro” no dia 28 de setembro. Junte-se a nós para manifestarmos a nossa indignação.

Há algumas semanas, uma coalizão de 430 grupos pró-aborto enviou uma carta ao secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, e aos chefes da ONU Mulheres, Programa de Desenvolvimento da ONU, Organização Mundial da Saúde, Fundo Populacional da ONU, UNICEF, UNAIDS e UNESCO, solicitando o estabelecimento da infame data.

De acordo com a carta, 28 de setembro foi declarado um dia internacional de ação para a descriminalização do aborto em 1990 pelo assim chamado movimento pela saúde das mulheres e desde então tem sido celebrada (informalmente) a cada ano.

Mais uma vez o lobby abortista está usando expressões eufemísticas para avançar a sua agenda. É um dado científico que nenhum aborto é seguro, pois ao menos uma pessoa sempre morre durante o procedimento: o bebê inocente, mas em muitos casos a mãe também perde a vida.

A carta argumenta o seguinte: “Não somos criminosas. Nenhuma de nós deveria ser processada por algo que é um fato central da feminilidade (...) O aborto seguro é um serviço de saúde essencial para as mulheres”.

O objetivo delas é claro: promover a legalização do aborto em países onde a prática ainda é ilegal e estabelecer um “dia” que será usado para conseguir dinheiro público para financiar propaganda pró-aborto.

O lobby abortista se uniu. Precisamos fazer o mesmo e mandar uma mensagem ainda mais clara a favor da VIDA.

Devemos enviar uma mensagem clara à ONU: não existe aborto seguro, e celebrar o assassinato de seres humanos inocentes é uma violação do direito humano mais fundamental: o direito à vida.

Quando você assinar a petição, a sua mensagem será enviada diretamente ao Secretário Ban Ki-moon. Por favor, junte-se a nós e a milhares de outras pessoas para impedirmos que essa proposta absurda seja levada a sério. 

--- 

Further Resources: 

https://www.lifesitenews.com/news/group-seeks-un-blessing-for-its-worldw...

DIGA NÃO À IDEOLOGIA DE GÊNERO NO PLANO MUNICIPAL DE NITERÓI

O Congresso nacional, após um longo debate, retirou toda e qualquer menção a gênero e orientação sexual do Plano Nacional de Educação. Nesta ocasião, cidadãos do Brasil inteiro ligaram para os gabinetes demonstrando serem contrários à Ideologia de gênero na educação.

Porém, após não terem conseguido aprovar a ideologia de gênero no Plano Nacional, a trouxeram para os planos municipais, inclusive para o PME de Niterói. Mas os cidadãos de Niterói dizem não à ideologia de gênero na educação de suas crianças. Portanto, requerem a redação sem gênero também no plano municipal de educação de Niterói.

O que é a ideologia do gênero?

As expressões “gênero” ou “orientação sexual” referem-se a uma ideologia que procura encobrir o fato de que os seres humanos se dividem em dois sexos. Esta corrente ideológica afirma que as diferenças entre homem e mulher, além das evidentes implicações anatômicas, não correspondem a uma natureza fixa, mas são produtos de uma cultura de um país ou de uma época. Assim, as pessoas que adotam o termo gênero insistem na necessidade de “desconstruir” a família, o matrimônio e a maternidade e, deste modo, fomentam um “estilo de vida” que incentiva todas as formas de experimentação sexual desde a mais tenra idade.

Negar a biologia e a psicologia é negar a ciência! A escola deve ter compromisso com a verdade, fomentando o conhecimento da realidade e não doutrinando os alunos com ideologias.

Além disso, o papel da educação deveria ser o de fomentar o conhecimento da realidade, não a sua desconstrução ou a neutralização das características psicológicas e biológicas dos meninos e das meninas.Devemos ensinar os nossos filhos a respeitar as pessoas, independentemente do sexo, raça, condição social, etc., mas isso não quer dizer confundi-los com uma ideologia como esta.

Com efeito, o termo “gênero”, empregado para designar as categorias de pessoas submetidas às diretrizes do PME, é impreciso, ambíguo, de forte conteúdo ideológico, passível de indesejados e ilegais alargamentos no âmbito de sua incidência, aplicação. Em breve, será votado na Câmara dos vereadores de Niterói o Plano Municipal de Educação, que, apesar de não ter nenhuma menção explícita à ideologia de gênero, contém uma terminologia ambígua, que poderia servir como porta de entrada para essa nefasta ideologia.  

Portanto, é URGENTE que mostremos novamente que NÃO queremos a ideologia do gênero na educação de nossos filhos. Diga NÃO à ideologia do Gênero no Plano Municipal de Educação de Niterói!

vitórias

Vamos defender a liberdade de expressão na Europa

A liberdade de expressão na Europa está em grande perigo!.

A 9 de Dezembro de 2021, a Comissão Europeia propôs alargar a lista de crimes da UE ao discurso do ódio e aos crimes de ódio.

Se esta proposta for aceite, a sua voz pró-vida e pró-família será encerrada em toda a UE, incluindo em Portugal. Lamento, mas devo adverti-lo sobre o perigo que se aproxima: o seu direito à liberdade de expressão será violado por entidades públicas e privadas.

É uma táctica da esquerda radical para censurar qualquer dissidência à sua agenda em todo o mundo. Ao alterar a definição do significado de liberdade de expressão, eles vão dar um golpe na nossa liberdade de defender as nossas opiniões e crenças... Estamos perto de ser desligados da corrente!

Os debates ainda estão em curso, mas a votação está inexoravelmente a chegar. A próxima reunião do Conselho Justiça e Assuntos Internos será no Luxemburgo, de 9 a 10 de Junho de 2022. Tencionamos persuadir alguns delegados dos Estados-Membros da UE a votarem contra as novas leis do discurso do ódio e fazê-los descarrilar... Mas eu preciso da vossa ajuda AGORA!

Se a liberdade de expressão for suprimida, o sistema de governo transforma-se numa tirania totalitária.

Vemos cada vez mais como as leis do discurso do ódio podem ser mal utilizadas para perseguir pessoas de opiniões diferentes. A administração Biden nos EUA anunciou a sua intenção de criar um Conselho de Governação da Desinformação (DGB) para rotular como desinformação a informação que não lhe agrada. A procuradora finlandesa pró-género perseguiu a política cristã Päivi Räsänen pelas suas opiniões bíblicas sobre casamento, família, e sexualidade.

Temos de o parar antes de ser tarde demais!

As novas leis do discurso do ódio propostas pela Comissão a serem acrescentadas ao artigo 83(1) do Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia (TFUE) são de formulação muito vaga e podem ser utilizadas arbitrariamente por alguns grupos poderosos, por exemplo, políticos, juízes e ativistas pró-aborto e pró-género.

Outro problema é que não temos uma definição clara do que são discursos de ódio e crimes de ódio. 

A esquerda radical quer ter mãos livres para o fechar e censurar as vozes pró-vida e pró-família!

Estamos a mobilizar milhares de cidadãos em todo o mundo para evitar que a esquerda radical na UE o converta num criminoso... Mas temos de agir rapidamente para convencer os delegados, uma vez que a sessão de votação está prevista para 9-10 de Junho.

A situação é difícil, mas temos esperança.

Para a introdução das novas leis do discurso do ódio, os delegados do Conselho "Justiça e Assuntos Internos" no Luxemburgo devem votar por unanimidade.

Isto significa que se conseguirmos persuadir alguns delegados dos Estados-Membros da UE a votar contra as novas leis do discurso do ódio, poderemos ganhar e defender a nossa liberdade de expressão.

Contudo, se falharmos, pode acontecer muito fácil e rapidamente que enfrentemos julgamentos judiciais pelas nossas opiniões pró-vida, pró-família e pró-cristãos apresentadas em público. Assim, a Europa livre estará acabada.

Espero que isto não seja o que nós e vós queremos. Vamos agir AGORA para o evitar.

Por conseguinte, precisamos de falar e defender a liberdade de expressão antes de ser tarde demais!

Por favor, assine a nossa petição e defenda a liberdade de expressão na Europa!

Mais informações:

Bruxelas quer que os discursos de ódio sejam considerados crime, 09 de Dezembro de 2021 

https://expresso.pt/sociedade/2021-12-09-Bruxelas-quer-que-os-discursos-de-odio-sejam-considerados-crime-47005612

Bruxelas quer alargar lista de crimes da UE a discurso e delitos de ódio, 09 de Dezembro de 2021

https://www.noticiasaominuto.com/mundo/1889109/bruxelas-quer-alargar-lista-de-crimes-da-ue-a-discurso-e-delitos-de-dio

Rada pre spravodlivosť a vnútorné veci, 3. – 4. marca 2022
https://www.consilium.europa.eu/sk/meetings/jha/2022/03/03-04/

Extending EU crimes to hate speech and hate crime
https://ec.europa.eu/info/policies/justice-and-fundamental-rights/combatting-discrimination/racism-and-xenophobia/extending-eu-crimes-hate-speech-and-hate-crime_en#documents

We must protect free speech—Enough is enough!
https://europeanconservative.com/articles/commentary/enough-is-enough/

 

NÃO À LEGALIZAÇÃO DA EUTANÁSIA EM PORTUGAL

No próximo dia 29, o parlamento português discutirá na generalidade quatro projectos que visam despenalizar e regulamentar a eutanásia.

Os projectos foram apresentados pelo partido Pessoas-Animais-Natureza, Bloco de Esquerda, Partido Socialista e Partido Ecologista “Os Verdes”.

Esta petição dirige-se ao grupo parlamentar do Partido Socialista e do Partido Social-Democrata, os dois maiores partidos portugueses. Foi dada liberdade de voto aos deputados desses partidos que, somados, atingem 175 dos 230 lugares do parlamento português.

É aos deputados do PS e do PSD que cabe fazer respeitar o povo português e a democracia, porque a eutanásia não foi discutida durante o período eleitoral que elegeu a actual composição do parlamento.

Por fim, é sobre os seus ombros que assenta a responsabilidade de levar em conta os avisos que chegam de países como a Holanda e a Bélgica, onde a eutanásia se pratica há largos anos. Nesses países, concluiu-se foi um erro despenalizar a eutanásia e que não é possível elaborar uma “lei boa”.

Portugal faz-se um país avançado promovendo os cuidados paliativos, e dando um exemplo de bom senso e respeito pela democracia!

DIGA NÃO À CRIAÇÃO DO CONSELHO LGBTTIQ EM BELO HORIZONTE

A Câmara Municipal de Belo Horizonte vai votar a reforma administrativa da prefeitura de Belo Horizonte. Cinco vereadores que defendem o lobby LGBT se aproveitaram da possibilidade de realizar emendas ao texto original para propor a criação do Conselho Municipal dos Direitos das Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Intersexuais e Queers.

Segundo o texto da subemenda ao projeto da reforma administrativa, o Conselho “contribuirá para potencializar o desenvolvimento de políticas públicas, formulando e propondo diretrizes de ação governamental, em âmbito municipal, voltadas para o combate à discriminação e para a promoção e defesa dos direitos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais, Transgêneros, Intersexuais e Queers”.

Isso significa que querem criar um mecanismo que utilizará dinheiro público (dinheiro do contribuinte) para promover em Belo Horizonte a causa LGBT.

Os autores da proposta parecem não se importar com a crise econômica que o país enfrenta e, menos ainda, com a má qualidade dos serviços públicos oferecidos em Belo Horizonte. A prefeitura, que está sempre enfrentando crises financeiras, terá de arcar com essa nova despesa.

Além disso, quem garante que esse novo conselho não será usado para propor a inserção da ideologia de gênero como tema a ser apresentado nas escolas municipais de BH?

A constituição brasileira e o código penal já garantem a todos os cidadãos a proteção contra discriminação e violência, acesso à educação, à saúde e aos outros serviços públicos. A impressão é que essas pessoas não querem direitos, mas privilégios.

Quem garante que esse órgão não servirá para silenciar e perseguir os cidadãos que não estão de acordo com os métodos e práticas do movimento LGBTTIQ?

Assine a campanha para enviar um e-mail aos vereadores que ainda não decidiram votar contra a criação do Conselho LGBTTIQ. 

PEDIMOS A LIBERTAÇÃO DO PASTOR HASSAN KODI E DO ESTUDANTE ABDULMONEM ABDULMAWLA

No final de Fevereiro deste ano, Omar Hasan al-Bashir, presidente do Sudão, perdoou o Petr Jašek, que ficou quatorze meses preso no Sudão. o

No entanto, o pastor Hassan Kodi e o estudante Abdulmonem Abdulmawla (acusados e presos juntos com Petr Jašek) continuam presos. Foram condenados a 12 anos de prisão por um tribunal em Khartoum no dia 29 de Janeiro deste ano porque foram acusados de terem colaborado com Jašek em seus supostos crimes.

Não é justo que esses homens continuem presos porque seus casos têm recebido pouca atenção da comunidade internacional, se comparados ao caso de Jašek (talvez pelo fato de serem sudaneses).

Petr Jašek disse à CitizenGO que tem imensa gratidão pelas centenas de milhares de apoios que recebeu das pessoas que assinaram a petição para pedir sua libertação. Também afirmou que não podemos nos esquecer do pastor Hassan Kodi nem do estudante Abdulmonem Abdulmawla.

Nas palavras Jašek: “Embora tenha sido libertado, meu coração ainda está na prisão com os dois outros irmãos – Hassan e Abdulmonem –, porque ainda estão presos em Khartoum. Precisamos continuar a campanha por sua libertação até que sejam libertados.”

Portanto, ao assinar esta petição, você enviará uma mensagem ao presidente do Sudão Omar Hasan al-Bashir para solicitar o imediato perdão e libertação do pastor Hassan Kodi e do estudante Abdulmonem Abdulmawla.

Muito obrigado por participar desta campanha!

MISSIONÁRIO CRISTÃO PODE SER PUNIDO COM A PENA DE MORTE: PEÇAMOS A LIBERTAÇÃO DELE!

ÚLTIMA HORA - 28/02/2017: Petr Jašek foi LIBERTADO! Graças às mais de 400.000 assinaturas e ao trabalho diplomático (do qual a CitizenGO também participou), o missionário tcheco foi libertado. Veja o que ele disse em sua coletiva de imprensa: 

"Também quero agradecer às mais de 400.000 pessoas que assinaram a petição na CitizenGO para pedir nossa libertação. Foi para nós um fator de GRANDE motivação e nenhum de nós esperava que um número tão elevado de pessoas pudesse realmente expressar sua coragem e aderir à petição."

Agradecemos a todos os que participaram da campanha!


Petr Jašek, missionário tcheco, foi para o Sudão ajudar cristãos que estavam sendo perseguidos por sua fé. Pouco tempos depois de ter chegado lá, tornou-se também um cristão perseguido. Há cerca de um ano ele foi preso injustamente no Sudão e até hoje se encontra nesta situação. Será julgado em breve e poderá ser punido com pena de morte.

Assine a petição para pedir a libertação de Jašek.

Em novembro de 2015, Petr soube da dramática situação do estudante sudanês Ali Omer, que em 2013, durante um protesto, sofreu graves queimaduras. Petr decidiu ir para o Sudão a fim de contribuir financeiramente com o tratamento de Ali e ajudar outros cristãos que vinham sofrendo perseguição.

No dia 10 de dezembro de 2015, pouco tempo antes do dia em que retornaria para República Tcheca, Petr foi preso por membros do serviço secreto sudanês em Khartoum. Algum tempo depois, ele foi acusado de diversos crimes. Algumas das acusações foram: espionagem, sedição, subversão da República... Três sudaneses também foram presos junto com Petr.

O processo é claramente político. As acusações têm como objetivo neutralizar todos os críticos do regime. Petr é o primeiro europeu a sofrer uma pena desse tipo no Sudão. A prisão dele nos dá a oportunidade de denunciar a injusta perseguição que os cristãos sofrem no Sudão.

A defesa de Petr afirma que seus acusadores não têm nenhuma prova contra ele, mas infelizmente não há perspectiva de que o julgamento seja justo, pois o governo sudanês é fundamentado na lei da Sharia.

Porém, não podemos perder as esperanças! Há dois anos, com a ajuda de milhares de citizengoers de todo o mundo, Meriam Ibrahim, uma cristã sudanesa que havia sido condenada à morte, foi libertada! Uma combinação de medidas políticas e pressão da sociedade civil garantiram a liberdade dela.

Petr poderá ser julgado e condenado à morte nos próximos dias. Por isso, mais uma vez, venho pedir sua ajuda. Assine a campanha para pedir a libertação de Petr e não deixe de compartilhá-la com o maior número possível de pessoas. 

DIA INTERNACIONAL DO ABORTO "SEGURO"? UM ABSURDO!

O lobby abortista internacional, com forte presença na ONU, quer estabelecer um “Dia Internacional do Aborto Seguro” no dia 28 de setembro. Junte-se a nós para manifestarmos a nossa indignação.

Há algumas semanas, uma coalizão de 430 grupos pró-aborto enviou uma carta ao secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, e aos chefes da ONU Mulheres, Programa de Desenvolvimento da ONU, Organização Mundial da Saúde, Fundo Populacional da ONU, UNICEF, UNAIDS e UNESCO, solicitando o estabelecimento da infame data.

De acordo com a carta, 28 de setembro foi declarado um dia internacional de ação para a descriminalização do aborto em 1990 pelo assim chamado movimento pela saúde das mulheres e desde então tem sido celebrada (informalmente) a cada ano.

Mais uma vez o lobby abortista está usando expressões eufemísticas para avançar a sua agenda. É um dado científico que nenhum aborto é seguro, pois ao menos uma pessoa sempre morre durante o procedimento: o bebê inocente, mas em muitos casos a mãe também perde a vida.

A carta argumenta o seguinte: “Não somos criminosas. Nenhuma de nós deveria ser processada por algo que é um fato central da feminilidade (...) O aborto seguro é um serviço de saúde essencial para as mulheres”.

O objetivo delas é claro: promover a legalização do aborto em países onde a prática ainda é ilegal e estabelecer um “dia” que será usado para conseguir dinheiro público para financiar propaganda pró-aborto.

O lobby abortista se uniu. Precisamos fazer o mesmo e mandar uma mensagem ainda mais clara a favor da VIDA.

Devemos enviar uma mensagem clara à ONU: não existe aborto seguro, e celebrar o assassinato de seres humanos inocentes é uma violação do direito humano mais fundamental: o direito à vida.

Quando você assinar a petição, a sua mensagem será enviada diretamente ao Secretário Ban Ki-moon. Por favor, junte-se a nós e a milhares de outras pessoas para impedirmos que essa proposta absurda seja levada a sério. 

--- 

Further Resources: 

https://www.lifesitenews.com/news/group-seeks-un-blessing-for-its-worldw...

O que está acontecendo na CitizenGO