As escolas não podem impor a doutrinação de género

Dirigido ao Ministério Público

 

As escolas não podem impor a doutrinação de género

As escolas não podem impor a doutrinação de género

07.000
  5.267
 
5.267 assinado. Vamos conseguir 7.000!

O Ministério Público quer que, os jovens que se encontram proibidos pelos pais de frequentar a disciplina de “Cidadania e Desenvolvimento” desde o ano letivo de 2018/2019, numa escola do Agrupamento Camilo Castelo Branco em Vila Nova de Famalicão, permaneçam sob a guarda da escola durante o horário escolar. 

Para além dos pais considerarem que a educação para a cidadania é uma tarefa que lhes compete, demonstram ainda preocupação em relação aos módulos da presente disciplina, e com razão. Entre os vários módulos, constam a  “educação para a igualdade de género” e “educação para a saúde e sexualidade”. 

Como consequência dos pais quererem proteger a inocência e educação dos seus filhos, estes têm sido considerados “chumbados” nos últimos quatro anos por faltas a esta disciplina. No entanto são alunos de excelência nas restantes disciplinas.

Esta situação é extremamente alarmante, uma vez que demonstra claramente a imposição da doutrina de género na educação das crianças. O Ministério Público não pode impor este tipo de matérias, da mesma forma que impõe matemática e línguas.

O Ministério Público afirma ainda que o facto dos pais proibirem os filhos de frequentarem esta disciplina os coloca em perigo, na formação, educação e desenvolvimento, bem como pode provocar desiquilíbrios psíquicos. Não podemos permitir que o Ministério Público imponha este tipo de educação corrompida pelos lobbies e radicais de esquerda às crianças! 

É necessário ajudarmos os pais destes dois alunos, e fazer ver ao Ministério Público que disciplinas como esta em nada contribuem para o desenvolvimento das crianças, mas sim para corromper a sua inocência. Prova disto, é o facto do Tribunal de Família e Menores de Vila Nova de Famalicão ter suspendido a sessão onde este tema ia ser discutido. 

Estamos no momento certo para agir!

Por favor, assine esta petição para juntos, conseguirmos proteger a educação e liberdade dos nossos filhos. 

Mais informações: 

https://www.dn.pt/sociedade/mp-quer-que-alunos-proibidos-de-frequentar-cidadania-fiquem-a-guarda-da-escola-14991017.html

https://cnnportugal.iol.pt/famalicao/criancas/a-sociedade-tem-muito-a-ideia-de-que-os-nossos-filhos-nos-pertencem-mas-nao-pertencem-o-que-diz-a-lei-sobre-os-dois-alunos-de-famalicao-em-suposto-perigo-existencial/20220706/62c4633f0cf2ea4f0a52ac40

https://www.publico.pt/2022/07/04/sociedade/noticia/mp-quer-retirar-responsabilidade-pais-decisao-aulas-cidadania-2012482

https://observador.pt/2022/07/05/tribunal-suspende-sessao-sobre-guarda-dos-alunos-proibidos-pelos-pais-de-frequentar-aulas-de-cidadania/

 
07.000
  5.267
 
5.267 assinado. Vamos conseguir 7.000!

Complete your signature

Assine esta petição agora!

 
Please enter your email
Please enter your first name
Please enter your last name
Please enter your country
Please enter your zip code
Por favor, escolha uma opção:
Processamos a sua informação de acordo com a nossa política de Termos e Privacidade

Parem de impor a doutrinação de género às crianças

A situação à qual estamos a assistir é extremamente grave, uma vez que retira aos pais das crianças a liberdade da sua educação. Os valores esquerdistas não podem ser impostos aqueles que não acreditam nem os defendem. 

Obrigar as crianças a ficar sob a guarda das escolas durante o período escolar, com o objetivo de lhes moldar a cabeça com doutrinas de igualdade de género, é anti-pedagógico e perigoso, uma vez que corrompe a sua inocência e manipula a sua educação e desenvolvimento. 

Os perigos por vós apresentados, no que respeita à não participação das crianças neste tipo de disciplinas, não representam a realidade. Por outro lado o perigo encontra-se precismaente quando frequentam estas matérias. Os pais têm o dever de educar e proteger os seus filhos, pelo que têm o direito de lhe incutir os valores nos quais acreditam. 

A doutrinação de género não pode ser imposta às crianças na escola, como se de matemática ou línguas se tratasse. As crianças precisam de aprender a contar, a ler, a escrever, e não precisam de crescer com uma visão permíscua do que é o mundo. 

Não vamos permitir que retirem a liberdade aos pais de educar os seus filhos, nem que a doutrinação de género seja imposta nas escolas portuguesas!

[Seu nome]

Parem de impor a doutrinação de género às crianças

A situação à qual estamos a assistir é extremamente grave, uma vez que retira aos pais das crianças a liberdade da sua educação. Os valores esquerdistas não podem ser impostos aqueles que não acreditam nem os defendem. 

Obrigar as crianças a ficar sob a guarda das escolas durante o período escolar, com o objetivo de lhes moldar a cabeça com doutrinas de igualdade de género, é anti-pedagógico e perigoso, uma vez que corrompe a sua inocência e manipula a sua educação e desenvolvimento. 

Os perigos por vós apresentados, no que respeita à não participação das crianças neste tipo de disciplinas, não representam a realidade. Por outro lado o perigo encontra-se precismaente quando frequentam estas matérias. Os pais têm o dever de educar e proteger os seus filhos, pelo que têm o direito de lhe incutir os valores nos quais acreditam. 

A doutrinação de género não pode ser imposta às crianças na escola, como se de matemática ou línguas se tratasse. As crianças precisam de aprender a contar, a ler, a escrever, e não precisam de crescer com uma visão permíscua do que é o mundo. 

Não vamos permitir que retirem a liberdade aos pais de educar os seus filhos, nem que a doutrinação de género seja imposta nas escolas portuguesas!

[Seu nome]